JUNINHODEXANGO@HOTMAIL.COM EMAIL E MSN

seguir por email Email

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

SOBRE OS ODÚS

Sobre os Odus




ODU OKARAN (1)

Fala na 1ª casa de Ifá. Responde Exu. É representado por um búzio aberto e quinze búzios fechados.

História da Fecundação:

Olorum, através de Obatalá, fez o homem que era a sua própria imagem e o chamou ISELÉ. Em razão de Iselé viver muito só, sentiu necessidade de uma companheira para poder procriar, procurou então Obatalá e narrou o seu pedido. Obatalá comovido chamou um Eborá dos mais puros e pediu que ele ajudasse Iselé naquilo que precisasse. O Eborá ao tomar conhecimento dos fatos não aceitou a determinação de Obatalá, revoltando-se. Obatalá, mediante a insubordinação de Eborá, fez com que ele descesse para a grande profundeza da terra, arrastando consigo todos os pecados. No interior da terra Eborá encontrou uma pedra vermelha (laterina) e alimentou-a com um acaçá vermelho.
Dali nasceu o Odu Okaran, parido em conseqüência da revolta, desobediência e insubordinação.

Personalidade:

Representa a magia boa e má, mostrando a própria personalidade de EXU.
Seus eleitopresentam caráter manhoso, são pessoas as vezes inconseqüentes,
fazem as coisas primeiro para pensar no efeito depois. Não procuram brigas, mas estão sempre dispostos a qualquer tipo de reação, as vezes violentas. Mentem com muita facilidade, as vezes iludindo a si próprios. Têm tendência a cometer erros que podem prejudica-los. As pessoas que possuem este Odu no opalador são bons feiticeiros, pois possuem a força de EXU consigo. Têm mente diabólica. Não é aconselhável a iniciação no Candomblé das pessoas que tem Okaran como Odu principal. Uma pessoa com este Odu nos caminhos pode ser levada à loucura, pois ele quando negativo ataca a cabeça e depois os órgãos genitais. Okaran fala de sustos, roubos, grandes perigos, prisão, inimizade, discussão, trabalhos feitos, ruína, perda de tudo, negócios embaraçados, ambição, fofoca e situações adversas ao consulente, inclusive casos amorosos, perigo de visitas estranhas, acidentes, caminhos fechados, novidades, barulho, alvoroço, acertos, prosperidade instantânea. Este Odu não respeita quase nada. A única coisa que ele respeita é muito difícil de se conseguir. Chama-se adin. É um óleo extraído do coco de dendê, mas só pode ser extraído por uma donzela de 67 (sessenta e sete anos) ou mais.
De posse do mesmo, cruza-se a pessoa na parte frontal. A pessoa ficará imune na hora.É a única coisa da qual Exu tem medo. Pode também passar um ebó de emergência para retirar a negatividade do Odu. Para que uma mulher possa engravidar, agrada-se à Exu e à Oxum. Exu representa a própria ereção, o gozo, o prazer. No momento em que a pessoa está com fraqueza sexual ou está acelerada demais sexualmente, tem que mexer com Exu, pois Exu tanto põe o homem potente quanto impotente. Este Odu é uma energia que na negatividade nunca vem só. Vem com Odi e automaticamente com Owarin. Existem ebós para retirar a negatividade deste Odu que podem ser feitos na lua minguante, porém o zelador terá que consultar o Ifá.



ODU EGIOKO (2)

Fala na segunda casa do Oráculo de Ifá. É representado por dois búzios abertos e quatorze búzios fechados. Neste Odu respondem Obatalá, Ibeji e Ogun, podendo esporadicamente responder Oxumaré. O Orixá Ogun costuma freqüentemente seguir os caminhos deste Odu.

História da Fecundação:

Olodumare se achava em dificuldades na manutenção do equilíbrio entre o ÓRUN e o AIYÊ, em razão da sucessão de mentiras e falsidades que acabaram entrando em choque com a honestidade e firmeza de caráter de outros seres, tendo em conseqüência uma série de desavenças, guerras e até mesmo pequenos conflitos que passaram a ameaçar não só a paz e a harmonia dos dois mundos, mas também a própria existência do mundo material. Resolveu então Olodumare consultar seu irmão e grande amigo, Babá Orunmilá Ifá, que o aconselhou a arriar uma oferenda na beira de um rio de água limpa, sobre um pedaço de pano branco, onde deveria colocar um acaçá vermelho para o Odu Oxê e um acaçá branco para o Odu Egionilê, duas cabaças com água no meio e duas lanças de ferro. Assim fez Olodumare, e, no outro dia, ao retornar ao local da oferenda, encontrou um jovem garboso que dizia chamar-se Odu Egioko, tendo sido enviado por Olorum, o Deus da Criação, para destruir o mal que afligia a terra, destruindo os falsos e mentirosos. Este Odu foi gerado por Oxê e Egionilê, não trazendo consigo qualquer espécie de pecado.

Personalidade:

Os eleitos do Odu Egioko possuem geralmente personalidade forte, bem marcante, com objetivos e ideais firmes, sinceridade, franqueza, não aceitam falsidade, têm muito ciúme de suas coisas e um espírito de luta de grande intensidade. Geralmente são criaturas tensas, nervosas, sempre em busca de vitórias, sem se importarem com as lutas e sacrifícios que terão de enfrentar para suas conquistas. Os filhos deste Odu têm tendência à bebida e jogo. Quando homens são muito volúveis e mulherengos; quando mulheres, obstinadas, terríveis. Quando amigos são muito sinceros; quando inimigos, todo cuidado com eles é pouco, já que na sua ira, podem querer destruir seu
opositor. Positivamente este Odu traz grandes triunfos com guerras. São pessoas alegres e felizes. Têm tendência à sorte, mas não chegam a ficar ricos. Não são ambiciosos. São geniosos, prepotentes e exigentes. Tentam impor a própria vontade, de modo que chegam a atrair inimigos. Provocam inveja. Este Odu fala em união, amizade, casamento, festas, surpresas, amigação, boas notícias, gravidez, brigas, demandas, indecisão, fim de sofrimento, tendência a grande triunfo, inimigos ocultos impedindo o progresso e a realização do intento desejado, guerras, cortes, confusão. Indica ainda casos e perigo de prisão. Quando a pessoa está sofrendo, a tendência é terminar.



ODU ETAOGUNDÁ (3)

Fala na terceira casa do Oráculo de Ifá. É representado por três búzios abertos e
treze búzios fechados. É o principal caminho de resposta do Orixá Ogun na Oropemba. Neste Odu responde o Orixá Obaluayê, podendo Xangô responder esporadicamente nesta caída. Quando Xangô falar neste Odu como Orixá principal da cabeça do consulente, indica sérios problemas de ordem material e espiritual para seus filhos, pois este Orixá quando fala nos caminhos deste Odu, costuma trazer aborrecimentos, dificuldade de progresso e até mesmo verdadeiras batalhas, relacionadas ao campo profissional, sentimental, familiar e também com relação às suas próprias obrigações de ordem espiritual. O Odu Etaogundá representa principalmente o Orixá Ogun com sua espada da lei, o grande Senhor das Batalhas, o Rei da Cidade de Irê (Onirê), na Nigéria. Quando este Odu responder na 1ª caída da Oropemba, indica que o consulente não só é eleito do Orixá Ogun, bem como está sob as vistas e proteção deste poderoso Orixá. Também indica que o consulente lida com grandes dificuldades para a realização de um projeto e enfrentará sérias conseqüências e prejuízos se não agir com o devido equilíbrio emocional.

História da Fecundação:

Este Odu foi fecundado na areia da praia, com um pano branco, três chaves de ferro, três acaçás brancos, três acaçás vermelhos, três pedras de minério de ferro, três peixes corvina, três cavalos marinhos, três cocos secos e três cabaças. O seu surgimento simboliza a abertura dos caminhos e exerce nos seres humanos grande influência nos rins, pernas e braços.

Personalidade:

Os eleitos deste Odu têm tendência a serem mentirosos, matam com facilidade
se forem muito irritados, pois quase sempre reagem com violência. Costumam jurar mesmo diante das evidências que não praticaram aquele determinado ato.
Costumam ser fingidos; geralmente têm os pés achatados, com os dedos maiores esparramados e cabeludos. Os filhos deste Odu deverão sempre adotar um procedimento em conformidade com a retidão da justiça, pois, caso contrário, acabarão recebendo o peso do prejuízo em todos os campos, produzidos pelos atos repentinos, impulsivos e as vezes até agressivos, que são características quase que constantes dos filhos deste Odu, principalmente quando o Orixá Ogun for responsável pelo ori da pessoa. Têm tendências a traições, não podendo confiar nos amigos e em certas ocasiões, nem mesmo em parentes, principalmente quando se tratar de divisão de herança ou sociedade nas quais, geralmente são roubados. São pessoas que só
conseguem lucros através de seus próprios esforços, pois ajuda exterior raramente acontece. Poderão vencer os maiores obstáculos de seus caminhos agindo com razão, calma e inteligência – únicas formas de obterem benefícios. Etaogundá fala também de invejosos, dúvidas na realização de projetos de vida, perseguição de homem mau, falta de sorte no amor, trabalhos feitos em cemitério, pessoa que vive perturbada, embora acabe vencendo as dificuldades. Outrossim, poderá indicar também golpe rude, paixão profunda, amor impossível, sonhos que nunca se realizarão. Pode indicar ainda a necessidade da realização urgente de um obori. Este Odu traz para seus filhos muitos problemas de doenças, problemas relacionadosà circulação sangüínea nas pernas, região onde exerce grande domínio, trazendo em certas ocasiões dores musculares ou reumáticas. Indica guerra em ambiente familiar, amoroso ou profissional; perigo de separação na vida sentimental; traições e borrecimentos. Também significa tendência à viuvez, morte e calúnia. É o Odu da perseverança. Se ele responder no jogo, a pessoa não pode “queimar” ninguém.É o Odu da sabedoria, da competição./



ODU IOROSSUM (4)

Fala na quarta casa do Oráculo de Ifá. É representado por quatro búzios abertos e
doze búzios fechados. Este Odu traz o principal caminho do Orixá Odé,
entretanto Xangô, Iemanjá e Oyá também falam nesta caída. Representa ainda
um forte caminho de egungun na vida do consulente, que acaba tendo uma relação amistosa com os mesmos.

Fecundação:

Obatalá chamou por mais uma vez Iselé e mandou que raspasse uma madeira de cor vermelha para extrair um pó de nome ossum. Determinou que cravasse em um brejo quatro lanças de madeira, com uma cabaça amarrada na ponta de cada lança, e colocasse no interior de cada uma das cabaças um pouco daquele pó, pedaços de pano vermelho e quatro argolas de cobre. Deste fato surgiu o Odu Iorossum, nascido sem pecado.

Personalidade:

Os eleitos deste Odu são comumente pessoas muito francas, atiradas, mão aberta, gastam o que não possuem, são gratos, gostam de ajudar as pessoas, são um pouco espalhafatosos, tendo forte atração pelos mistérios do ocultismo e do misticismo, sendo um pouco indecisos. Independente de seus Orixás, recebem grande proteção de Xangô e Oxalá, que sempre os socorrem em suas aflições, com muita rapidez na forma de ajudar. A principal característica deste Odu quando se apresenta no opalador é que este fato indica que a pessoa é ABIKU (ABI=nascer; YKU=morte; ABIKU= nascer da morte), não podendo portanto ser iniciada no Candomblé com os ritos de “raspagem”, recebendo
por isso obrigações especiais que requerem profundos conhecimentos, responsabilidade e dedicação de quem for realizar tais obrigações. Geralmente as pessoas que carregam este Odu na cabeça, acabam sofrendo desastres, as vezes ficando com mazelas do fato acontecido. Entre suas fortes características, indica para o consulente problemas com calúnias sofridas ou forte risco de sofrê-las, difamação envolvendo inclusive a própria moral, traição, perigos de cair em ciladas e ardis de inimigos que sempre são muitos, pois os filhos deste Odu sofrem sempre perseguições, em certas ocasiões até mesmo de inimigos ocultos e gratuitos. Quando aparece na Oropemba, fala que a pessoa vive cercada de falsos amigos, passa por perigos de grandes desgraças, de perder sangue ou sofrer desastres. Atinge cabeça e barriga, e traz sérios problemas com egun. Seus filhos recebem muitos golpes também na área profissional. Este é o Odu das “más interpretações”.



ODU OXÊ (5)

Fala na quinta casa do Oráculo de Ifá. É representado por cinco búzios abertos e onze búzios fechados. É o principal Odu do Orixá Oxum, embora Omulu e Iemanjá também respondam nele. Traz ainda caminhos de Ifá, Xangô, Ogun e Exu.

Fecundação:

Este Odu foi gerado de cinco espelhos e um pano bem alvo na beira de um rio.
Foi concebido sem pecado original. Desta concepção nasceu Oxum Gimun,
a mais velha das Oxuns.

Personalidade:

Os filhos deste Odu, geralmente são vaidosos, interessam-se pelos mistérios
do ocultismo. Costumam possuir o poder dos feiticeiros ou bruxos, pelo fato de
terem grande força espiritual; entretanto estão sempre sonhando com tudo e com grandes oportunidades que esperam surgir. Este Odu tem a propriedade de atrair para seus eleitos muita falsidade, que quase sempre os faz sofrer, envolvendo tanto amizades que acham ser sinceras, como também problemas dentro da própria família. Costumam sofrer traições amorosas, e, quando precisam dos amigos, estes inexplicavelmente lhes viram as costas. Oxê no opalador indica grau sacerdotal já iniciado ou com necessidade de iniciação. É representado pela estrela de cinco pontas, o pentagrama. Este é um Odu que trata de grandes causas e está pronto a defender o consulente no que for possível. Revela fim de sofrimento e tendência a um grande triunfo. Fala em grandes pessoas, mistério, caráter, mediunidade,“cargo de santo”. Traz fracasso no amor, a pessoa pensa em grandes lucros, mas por não saber agir, perde grandes oportunidades; têm inimigos ocultos impedindo que seus
esforços sejam bem recompensados, contudo, espera vencer; terá lucros e realizará o que pretende; teve uma doença e a venceu; é capaz de destruir seu inimigo. Significa: ilusão, notícia, vingança, questões amorosas e problemas de barriga. Oxê é um Odu muito rico, mas tem ebós que são despachados na lixeira.





ODU OBARÁ (6)

Fala na sexta casa do Oráculo de Ifá. Responde com seis búzios abertos e dez
búzios fechados. Respondem neste Odu Xangô e Odé.

Fecundação:

Este é o Odu da riqueza. Foi gerado de um bloco de ouro. As suas arestas
representam riquezas. O Odu Obará fez a fecundação com Egilaxeborá. De Obará veio Agé, de Egilaxeborá nasceu Araiun, que por sua vez não vem na cabeça de ninguém e gerou doze Xangôs. Agé nada gerou.


Personalidade:


As pessoas que estão sob influência deste Odu, são vítimas de calúnias, fuxicos, as vezes questões na justiça, problemas amorosos e sentimentais. Poderá ter auxílio inesperado, mas não deverá perder a oportunidade. Tem grandes idéias a realizar, mas não sabem por onde começar. Fracassam as vezes por não pedirem ajuda, mas o sofrimento não é duradouro. Vencerão pela força de vontade porque dispõe de proteção espiritual. Devem procurar os amigos que estarão sempre prontos a auxiliar.

Quem estiver sob a proteção deste Odu não poderá comentar suas intenções,
senão as mesmas não se realizarão. Este é o Odu do sigilo, portanto as pessoas ligadas a ele deverão guardar segredo de seus projetos. Este Odu poderá trazer
sorte no jogo, fartura e fortuna. Deve ser tratado nas quartas-feiras de lua cheia,
sendo chamado em voz alta por seis vezes. Traz falsidade, calúnias, perseguição por más línguas, inveja, fuxicos, questão na justiça, sofrimento familiar e casos amorosos, notícias e boas oportunidades. São pessoas de grandes idéias positivas, possuem o dom da arte, do crescimento, da limpeza e claridade. Quando o Odu responde nos pés, traz o dom da palavra, tem idéias a realizar, porém difíceis de concretizar. Os filhos deste Odu têm espírito de luta, proteção espiritual, ajuda dos outros Odus, intuição, tendência a “Cargo de Santo”. Este é o Odu das “coisas inesperadas”. Este Odu representa a língua, a praga, o feitiço. Quando responde duas vezes significa perda de dinheiro. Quando responde três vezes é perda total, com prosperidade impossível.



ODU ODI (7)

Fala na sétima casa do Oráculo de Ifá. É representado por sete búzios abertos
e nove búzios fechados. É Odu de Exu, Omulu e Oxalufã, mas podem falar
também Oxumaré, Ossayin, Odé e Iemanjá.

Fecundação:

O Odu Odi se uniu ao Odu Etaogundá. Dessa união surgiu Omulu Orueje. Do Odu Odi nasceu Omulu Jagum e Oxumaré. Do Odu Etaogundá surgiu Iemanjá e Anibun; Desses dois nasceu Ogun Iorominan Abalajú, que deu origem a
Ogun Mejejê Ajá (Ogun Já). O Odu Odi foi fecundado com farofa d’água,
metal branco, metal amarelo, ímã, sete guizos dourados e pedra de minério.
Representa dores e embaraços.

Personalidade:

As pessoas ligadas a este Odu são influentes, gostam dos prazeres, são ambiciosas, pensam em grandes lucros e viagens. Sempre fracassam no amor, sofrem perturbações por coisas simples, não sabem agir e perdem grandes oportunidades, precisam sempre de orientação. Este Odu é o odu do embaraço, pois as pessoas que o possuem costumam ter seus caminhos interrompidos. Começam as coisas e quase sempre não terminam. Traz problemas de coluna e pernas. Este Odu poderá ser muito bom quando bem tratado. Significa desgostos, banalidade, imoralidade, perda de virgindade. Para pessoa doente, significa morte, traz problemas de egun. Grandes lutas que poderão ter um bom desfecho se a pessoa tiver fé. Fala em guerra, barulho, fuxico, perseguição. Indica que a pessoa está sempre sofrendo. Odi significa doença, choro por morte. Significa dificuldades em tudo, principalmente com dinheiro. São essoas muito influentes, tanto nas camadas altas quanto nas baixas. Gostam de prazeres, principalmente amorosos. Tendência a ser traído ou trair em todos os sentidos, tendência a perda total de personalidade. São ambiciosos, pensam em grandes lucros e mudanças de vida. Sofrem perseguição por inveja ou são invejosos. São vingativos quando atacados por inveja. Infelizmente fracassam em tudo, principalmente no amor. Sofrem perturbação por pouca coisa, e se agitam por tudo, movidos por influências negativas. Não gostam de perder oportunidade. Quando perdem entram em pânico. Este Odu mexe com o sistema nervoso, cabeça, sexo; traz dores nos ossos, coluna, pernas, alergia pelo corpo, problema digestivo, queda de cabelo. Deve ser tratado sempre na rua, com suas comidas propiciatórias regadas a mel.



ODU EGIONILÊ (8)

Fala na oitava casa do Oráculo de Ifá. É representado por oito búzios abertos
e oito búzios fechados. É o Odu principal de Oxoguiã, mas nele respondem também Xangô e Oxum, podendo raras vezes Odé falar nesta caída. Por pertencer a Oxoguiãé um Odu fun-fun, isto é, branco, não podendo levar azeite de dendê nem azougue em suas oferendas, já que são suas kijilas.

Fecundação:

Iselé recebeu de Olodumare a ordem de, no alto de um morro gramado, aos pés de uma palmeira, colocar uma grande cabaça aberta, com oito acaçás brancos, oito argolas de chumbo, oito pedras lisas brancas, oito búzios, e oferecer dentro da cabaça, um animal de quatro patas, de cor branca. Dessa oferenda foi fecundado o Odu Egionilê, e de sua fecundação nasceu Kinaman, empregado fiel que sempre o acompanha. A cor do Odu Egionilê é branca, por esse motivo, não se usa azeite de dendê, nem qualquer outra coisa de cores vermelha ou preta em suas obrigações.

Personalidade:

As pessoas sob a influência deste Odu têm grande proteção espiritual, intuição,
“Cargo de Santo”, gozam de boas amizades, procuram acalmar as outras pessoas, mas possuem gênio muito forte. São inteligentes, espertos, atenciosos, têm grandes sonhos, são em geral pessoas delicadas, honestas, de grandes paixões, sofrem por amigos. Em seu lado negativo, são vingativas, impacientes, “cabeças quentes”, atraem desavenças, brigas, separações, traições, mentiras. Este Odu é muito mentiroso, traz fuxico e aborrecimentos na porta, confusões, casos com polícia, sustos, tendência a roubar e serem roubados, vítimas de vício ou viciado em família. Traz risco de doença grave, cirurgias, vítimas de operações, sofrem enjôos, dores no estômago,
vesícula, cabeça e sistema nervoso abalados. São pessoas revoltadas consigo mesmas. Egionilê na data do nascimento é altamente negativo. São pessoas que de oito em oito anos sofrem transformações e cortes na vida e com a família. São orgulhosos, têm espírito de liderança. São bons conquistadores. Este Odu gosta de tudo muito limpo e bem feito. Não admite erros em suas coisas. É perigoso quando o consulente está passando por um problema clínico e egionilê responde no jogo. Este Odu fala de perigos de acidentes, doenças graves, males diversos, traições, roubos, brigas, descrença, fuxicos, fala de pessoas mentirosas ao redor. Caindo no jogo, fala de fim de sofrimento, através da morte do passado e surgimento de um mundo novo. Este Odu é mentiroso, engana até a morte. Se cair no jogo falando de doença, é possível que o consulente morra antes de adoecer. Quando este Odu responde no jogo,
tanto o zelador quanto o consulente têm que se levantar três vezes em sinal de
reverência a Oxalá. Sempre que aparece tem prioridade em relação aos outros Odus, devendo ser feitas oferendas dedicadas a ele.

ODU OSSÁ (9)

Fala na nona casa do Oráculo de Ifá. É representado por nove búzios abertos e
sete búzios fechados.É o Odu principal de Iemanjá, também podendo responder
nesta caída Oyá, Odé e Xangô.

Fecundação:

Obá Olokun, rei do mar, consultou sua esposa Ilakun, rainha do mar, e a mesma
falou da necessidade de um guerreiro para chefiar seu exército. O rei então procurou Olodumare para se aconselhar a respeito, tendo o mesmo lhe dito que o melhor seria construir um guerreiro com todas as qualidades desejadas. Disse para o rei colocar na beira do mar um pedaço de pano azul, um pedaço de pano vermelho, uma estrela do mar, nove barras de ferro e nove acaçás doces feitos com leite de coco. Assim fez Obá Olokun. Naquela madrugada então foi fecundado um príncipe que surgiu armado com nove lanças, cavalgando um enorme cavalo marinho, dizendo chamar-se Odu Ossá Meji, e nasceu com toda autoridade de um chefe de exército.

Personalidade:

Este Odu apresenta características próprias: pessoas teimosas, caprichosas,
com mania de limpeza, asseio, gostam de jóias e perfumes. As pessoas que possuem este Odu no opalador ou como ancestral, choram muito (derramam lágrimas), não gostam de ficar paradas, trocam de lugar sempre, são ligadas à viagens, gostam de conhecer lugares novos, fixam residência e arrumam emprego em lugares diferentes de onde nasceram. São pessoas com dúvida constante em tudo. Iniciam as coisas e não terminam. Caminhos fechados. Traz problemas no amor. Dependendo da caída no jogo, traz problemas com egun. Têm cortes de grandes projetos pelo lado de egun, tem muitas perturbações, dores de cabeça, dores de barriga, perda de valores, transpiram nas mãos
e nos pés, têm pressão baixa. Risco de desastres, caminhos perigosos, perseguição de mulher ou homem. Este é o Odu da autoridade. São pessoas autoritárias, exigentes, líderes que não recebem ordens, não aceitam ser governadas, são manhosas, são sempre perseguidas por pessoas invejosas. As pessoas deste Odu têm a proteção especial de Oxalá e Xangô. Têm tendência para a religiosidade. Indica necessidade de elevação espiritual. Estão sempre procurando alguma coisa. São pessoas falantes. Têm intuição através de sonhos. Este Odu representa que a pessoa terá conflitos durante toda a vida. As mulheres de Iemanjá com este Odu no Opalador possuem problemas de menstruação, fala de mioma, fibroma, hemorragia, distúrbios uterinos e de ovários. Ossá é conhecido como pai do útero.É o Odu da maternidade. O número 9 influi na fecundação. Quando cai no jogo, este Odu fala de problemas sentimentais, problemas na vida conjugal, separações. Fala ainda de falsidades, traições, parentes distantes que não dão notícias. As pessoas correm risco de perder tudo (casa, dinheiro, bens, etc.) e ficar na miséria.



ODU OFUN (10)

Fala na décima casa do Oráculo de Ifá. É representado por dez búzios abertos e
dez búzios fechados. Responde Oxalufã, podendo também responder
Oxum, Xangô e as vezes Odé.

Fecundação:

Olorum chamou Iselé para falar da necessidade da criação de um Odu que
trouxesse paz e equilíbrio à terra. Mandou então Iselé pegar um efun e raspar
sobre uma peça de prata numa folha de caapeba, junto com um pedaço de cristal de rocha e que misturasse tudo com orvalho e neblina, colocando a mistura sobre um monte de areia, no alto de um morro. No outro dia, ao raiar do sol, surgiu o Odu Ofun, gerado puro, sem pecado, trazendo com ele os Orixás Oxalufã e Oduduwá.

Personalidade:

As pessoas sob influência deste Odu são sinceras, honestas, inteligentes,
sabem fazer boas amizades. Costumam ser caridosos, humanos, calmos e pacientes. Normalmente entendem seus próprios problemas e assumem liderança para ajudar a quem precisa. Podem causar problemas por desejarem ajudar aos outros, pois têm sempre uma palavra amiga para consolar. São pessoas que sonham com dias melhores, gostam de viver de fantasias. Vivem do passado. Este Odu adora velhice.É um Odu velho e teimoso, porém muito rico, inclusive dá fortes caracteres de espiritualidade elevada a seus escolhidos. Traz doenças na área respiratória, dores no corpo, desânimo, preguiça, melancolia, depressão, choro, pensamentos velhos, problemas amorosos e familiares, doenças na família, insônia, bronquite, rinite, problemas de coração e pressão arterial, têm sempre problemas de cirurgia, mulher sempre perde a gravidez ou têm problemas de útero, transpiram nas mãos e nos pés.
Fala sempre de paz próxima para seus eleitos, que costumam ser muito observadores. Seus caminhos positivos são muito fortes, dando sempre vitória a quem o possui, mesmo nas causas mais difíceis, onde pode tardar, mas sempre chega aos eleitos deste Odu. Ofun não suporta as cores preta e vermelha, suas principais kijilas. Este Odu acarreta perturbações relativas a casos amorosos, trabalho, dinheiro, inimigos que perseguem ou irão perseguir o consulente, e até mesmo possibilidade de doença. Indica gravidez, problemas na região da barriga, trabalhos feitos, problemas amorosos com possibilidade de prejuízo pessoal e até casos que comprometam a honra. Traz perigo de morte quando envolve doenças ou casos amorosos.



ODU OWARIN (11)

Fala na décima primeira casa do Oráculo de Ifá. É representado por onze búzios abertos e cinco búzios fechados. É o Odu principal de Oyá, mas Exu também responde.

Fecundação:

Olodumare precisava de um empregado. Depois de tanto procurar e não encontrar, resolveu gerá-lo para dispor de seus serviços. Numa encruzilhada aberta, colocou pedaços de pano preto, vermelho e branco, e sobre os panos, onze cabacinhas abertas, cheias de mel, uma corrente de ferro com onze elos,
uma garrafa de aguardente e onze búzios abertos. No dia seguinte surgiu o
Odu Owarin, que pariu Exu Òla, rei dos Exus, que passou a servir Olodumare
em seus desejos.

Personalidade:

Os filhos deste Odu são pessoas de má influência, pois carregam consigo
grande negatividade. Têm tendência a ser volúveis, principalmente os homens,
são sujeitos a doenças, perseguição, falação, injustiças, problemas com egun.
Traz sucesso no comércio, traz grandes paixões. A felicidade parece sempre oculta e difícil. São pessoas extremamente melindrosas. São no geral muito boas ou muito ruins. São influentes. Os homens filhos deste Odu são geralmente sem fé. Lutam com dificuldade para a realização de qualquer projeto. Gostam de luta. As mulheres comumente separam-se no primeiro casamento, podendo casar outras vezes. Perigo de se prostituírem. Este Odu fala de calúnias, perda de tudo, inclusive emprego, doença passageira, carrego de egun nos caminhos. Só vencem os obstáculos da vida com muita razão, após sofrerem agruras e grandes sacrifícios. Representa na oropemba surpresa, forte imaginação, dúvidas constantes - o que atrapalha oêxito das conquistas, ingratidões, vinganças, perturbações para pessoa, muita dificuldade na realização dos desejos. Quando reponde significa que a pessoa tem
que fazer ebó, pois está arriscado a perder tudo ou morrer, pois este Odu traz
morte repentina. Se tiver que viajar ou fazer cirurgia e este Odu responder, é
aconselhável não fazer. Quando cultuado e tratado, acaba trazendo para seus
filhos satisfação e êxito no atendimento de seus desejos, podendo descortinar o
ocultismo da felicidade para seus nativos. Toda pessoa que carrega Owarin na
cabeça tem tendências a queimaduras. Se o consulente estiver doente e este Odu aparecer, não é motivo de preocupação, pois Owarin tem uma filosofia que diz: “Quem tem que morrer não adoece, morre logo”. Este Odu apresenta tendência à mendicância, ao vício da bebida e tóxicos. Traz para seus filhos tendências para participar de casos baixos e escusos, trazendo também envolvimento com polícia, proporciona falta de sentimento em razão dos resultados dos erros dos seus filhos.É um Odu problemático e perigoso, por isso tem de haver muito conhecimento por parte do zelador no seu culto, pois, qualquer erro, ao invés de levantar, irá destruir seus escolhidos. Requer muita competência e paciência. Suas kijilas são o sal, banha de ori e abóbora ermelha.

ODU EGILAXEBORÁ(12)

Fala na décima segunda casa do Oráculo de Ifá. É representado por doze búzios
abertos e quatro búzios fechados.É o Odu principal do Orixá Xangô, que
fala nesta caída acompanhado de seus doze ministros, chamados Obás de Xangô. Neste Odu também falam Odé e Logum-Edé, podendo também raras vezes Iemanjá e Ossaiyn responder nesta caída.

Fecundação:

O reino de Oyó se achava em péssimas condições. As intempéries da natureza
fustigavam o local trazendo pânico aos seus habitantes. Um dos Obás de Xangô, condoído com a situação do povo, resolveu procurar um babalawo. Este, consultado, narrou ao Obá que a ira de Olodumare castigava aquele reinado e que havia necessidade de fazer oferenda. Voltando ao reino, o Obá falou com os outros Obás e estes por sua vez resolveram fazer a tal oferenda. Acenderam uma enorme fogueira e próximo a ela colocaram uma gamela de madeira com doze quiabos, doze pedrinhas brancas, um par de chifres de carneiro, doze argolas de cobre, doze xéres, doze oxés, doze ímãs, doze favas de alibé, tudo sobre doze punhados de areia do mar. No dia seguinte, quando a fogueira se apagou, surgiu um belo príncipe que ao ser indagado disse chamar-se Egilaxeborá, nascendo com ele Xangô Araurem (hoje não mais cultuado), que gerou Logum-Edé.

Personalidade:

As pessoas sob a influência deste Odu são boas, prestativas, inteligentes,
podendo até ser, as vezes, um pouco arrogantes, mas são justas, corretas e de
muito bom coração. Mesmo quando não ocupam posição social elevada, cabam
chamando atenção para si, pois possuem, inconscientemente o dom da liderança e do destaque. Até quando humildes, possuem cargo e as grandes qualidades do seu Orixá. Não perdem a pose (rei) mesmo que não estejam numa situação favorável. Têm tendências a dores de cabeça, e a pôr sangue pela boca e pelo nariz quando o Odu está condenando. Quem carrega este Odu sempre terá dificuldades na vida. Este Odu vem por praga. Quem tem este Odu precisa mexer com Orixá. Quando este Odu aparece na Oropemba, sopra-se o jogo na porta da rua, pois representa Xangô e sua corte real dos doze ministros, seis à direita que condenam os atos maus, ilícitos e seis a esquerda que absolvem, permitindo a esta corte real manter vivo o equilíbrio harmonioso dos seres e das coisas através do princípio do próprio antagonismo, iniciado por Olorum no ato da criação, sendo que Xangô representa a ira do próprio Criador. Este Odu fala também em desgraças, briga, ruína, miséria, perda de bens, perigo de correr sangue do consulente ou de pessoas ligadas ao mesmo, prisão e problemas relacionados com a justiça. Quando este Odu aparece no pé, traz discórdia em família, desavenças, dívidas, separação, necessidade de iniciação na vida espiritual. Quando aparece na cabeça traz perda de emprego, discórdia em família, dívidas e desequilíbrio financeiro.



ODU EGIOLIGBAN ou ODILABAN (13)

Fala na décima terceira casa do Oráculo de Ifá. É representado por treze búzios aberto s e três búzios fechados.É o principal caminho do Vodun Nanã, considerada a mais velha de todas as Yabás, porém, a sua resposta na Oropemba vem sempre acompanhada por Obaluayê (o Rei da Grande Luz da Terra), o mesmo que Omolu (Filho da Grande Luz). Egungun também responde nesta caída, pois quando o Odu Egioligban aparece no meio do jogo, tanto pode indicar um carrego de morte na família quanto um prenúncio de morte tanto para o consulente como para um familiar deste.

Fecundação:

Uma Iyami Ajé, mãe feiticeira, habitante de uma lagoa de água doce, sentindo-se
muito só, viu a necessidade de criar para si uma companhia. Sobre uma pedra no meio da lagoa, forrou um pano azul e um pano vermelho, sobre os panos colocou uma panela de barro, treze cabacinhas, treze pinhas, treze argolas de cobre, um obi, um orobô, treze bandeirolas brancas, treze egüidis, treze ikos, treze vinténs de cobre e treze ímãs, cobrindo tudo com palha da costa. No amanhecer do outro dia, coberto pelos primeiros raios do sol, surgiu um ser trazendo em suas mãos uma foice de metal e disse chamar-se Odu Egioligban, filho de Yiami Ajé, em conseqüência trazendo consigo ajé, o que o tornava perigoso, mensageiro das calamidades da morte.

Personalidade:

As pessoas sob domínio deste Odu sempre vencem as maiores dificuldades. As vezes comportam-se como velhos, mesmo tendo pouca idade. Costumam ser teimosos, resmungões, meio incoerentes, mas de muita responsabilidade. São trabalhadores, honestos ao extremo, possuindo vontade própria bem acentuada, o que demosntra uma forte personalidade. São inteligentes, espertas, super mães ou super pais. Os filhos deste Odu não tem muita sorte na vida amorosa e, quase sempre sofre m uma série de perturbações físicas e espirituais (doenças, cirurgias). Os eleitos deste Odu possuem uma característica de aceitar todos os sofrimentos, tanto os de ordem física, bem como os espirituais, com grande capacidade de resignação, pois, no íntimo dos mesmos estará sempre a certeza de que nada é permanente e que tudo se transformará e de que eles serão os grandes vencedores. Trazem ajé em seus caminhos, o que os torna perigosos. Têm melancolia e nostalgia. Significa inveja, pessoa má.





ODU IKÁ (14)

Fala na décima quarta casa do Oráculo de Ifá. É representado por quatorze búzios abertos e dois búzios fechados. É o principal caminho do Orixá Oxumarê, sendo que o Orixá Ossayin também pode responder nesta caída. O Vodun Nanã, em razão de ser oriunda do território de Mahi, local de surgimento do culto à Oxumarê e ainda por ser mitologicamente mãe do Orixá Ossayin, Deus das Folhas, acompanha esta caída podendo inclusive responder sozinha no caminho deste Odu. O Odu Iká, segundo as razões dos mitos, é considerado o Odu dos caminhos das maiores riquezas, sendo que, quando corretamente cultuado, torna-se muito promissor para os seus nativos. A caída deste Odu na Oropemba, significa novidades que estão por vir, podendo ser boas ou más. Indica também coisas pendentes com necessidade urgente de resolução, bem como oportunidades que foram perdidas, das quais muito se arrependem. Representa grandes paixões, início de uma nova vida para mulher, romance que pode ser iniciado e poderá trazer grandes alegrias e prosperidade na vida material.


Fecundação:

A fecundação histórica deste Odu fala que seu aparecimento foi para destruir Iselé. Iká significa a destruição do homem ou sua ascensão. Iselé, achou-se muito importante perante à Orunmilá, motivo pelo qual foi destruído por Iká.


Personalidade:

Seus eleitos estão sempre exuberantes e em grande estado de pujança, pois
costumam adaptar-se e tirar vantagens dos ambientes em que estiverem.
As pessoas que possuem o Odu Iká no opalador são difíceis de se lidar, pois
estão sempre armados, em estado de defesa permanente, em virtude deste estado permanente de alerta, as pessoas que tiverem necessidade de envolvimento com os filhos deste Odu, deverão ter muita cautela, haja vista, os mesmos estarem sempre prontos a dar um bote certeiro, desferido a qualquer momento, tornando-se senhores da situação, tirando grande proveito da surpresa causada pela rapidez de raciocínio e a malícia sedutora que transmitem, pois os mesmos têm o vício da juventude eterna, e o carisma de um olhar malicioso, penetrante perigoso que deixa transparecer pensamentos intensos e absorventes, razão pela qual deve ser evitado encarar as pessoas do
Odu Iká, não devendo fixar os olhos dos mesmos.





ODU OBEOGUNDÁ (15)

Fala na décima quinta casa do Oráculo de Ifá. É representado por quinze búzios abertos e um búzio fechado. É o principal caminho dos Orixás Obá e Ewá,podendo várias vezes Xangô, Obaluayê e Yemanjá falarem nesta caída. Este Odu representa a guerra que é uma constante na vida de seus eleitos, porém costuma realizar a justiça com máxima retidão, trazendo imparcialidade no julgamento das pessoas por seus filhos, que acabam não levando em consideração suas simpatias ou antipatias no ato de julgar. Obeogundá transmite aos seus filhos complexo de inferioridade e a sensação de que as pessoas lhes sãocontrárias, querendo sempre apoderar-se das coisas que lhes pertencem, causando assim constantes sofrimentos em suas vidas. Traz verdadeiro pavor à rejeição, fala de amores que quase sempre não são correspondidos, o que lhes produz grande revolta, que se torna visível em seus atos, que sempreemonstram algum complexo de inferioridade. Traz também a seus eleitos muita depressão, melancolia e sistema nervoso depauperado, ocasionando algumas doenças de ordem física. Indica perseguição de homem por homem ou mulher por mulher, problemas em negócios que apresentam pouco lucro e, às vezes, forte tendência ao homossexualismo. Este Odu põe seus filhos, se não tiverem cuidado, com gosto a jogos, e faz com que eles tenham rigorosa seleção na escolha de suas amizades. Apresenta personalidade dupla, o que faz com que seus eleitos acabem não se afirmando no que realmente querem, trazendo conflitos de ordem material, no campo amoroso, de ordem espiritual e até mesmo de ordem psíquica, fazendo seus filhos ficarem mentalmente perturbados e muito irado.Quando Obeogundá recebe o tratamento correto, poderá trazer a seus eleitos riqueza, prosperidade, saúde, amor e paz. Nunca deve ser alimentado sozinho, haja vista depender da força de outros Odus para trazer o progresso almejado pelos seus eleitos.

Fecundação:

Este Odu é feminino, foi gerado de acaçás brancos e amarelos, próximo de uma montanha de minério de ferro.Veio pôr fim a uma guerra entre irmãos.

Personalidade:

As filhas de Obá que trazem este Odu como elemento principal de suas cabeças, costumam ser valorosas e quase sempre incompreendidas. Suas tendências um pouco agressivas fazem-nas freqüentemente voltarem-se para o feminismo ativo. As suas atitudes militantes e viris são geralmente adquiridas pelas experiência infelizes ou amargas por elas vividas. Têm dificuldade em manter o sentido de feminilidade , sendo as vezes nada gentis e comunicativas quantoaosrelacionamentos afetivos. Os escolhidos deste Odu constantemente são tomados de ira, as vezes ofendendo até involuntariamente a quem mais amam, denotando um temperamento difícil de ser entendido, pois tardiamente arrependem-se de suas atitudes, querendo desculpar-se e voltar atrás, reconsiderando seus gestos, nem sempre aceitos pelos amigos, o que traz a eles muito sofrimento – que é constante em suas vidas, fazendo com que passem a ser extremamente reservados, não deixando transparecer suas derrotas. São ciumentos e possessivos demasiadamente, sempre com medo de perder seus amores e bens materiais, fazendo-os muito sistemáticos, embora falantes. Têm tendência maníaco-depressiva desde cedo. Os filhos deste Odu têm tendências a grandes sucessos sociais, alcançando a fama e a notoriedade onde habitam devido a sua inteligência, embora quase sempre não acreditem no sucesso alcançado em razão de frustrações adquiridas no decorrer de suas vidas, por tendência de seus temperamentos. Estão sempre ávidos em busca de ganhos e de não perderem suas conquistas materias, o que se torna garantia de sucesso. Os filhos de Ewa que trazem este Odu como opalador, são mais comedidos, embora, quando atacados ou contrariados, reajam litigiosamente, enfrentando seus opositores de maneira valente, o que quase sempre os faz vitoriosos em seus empreendimentos, pois costumam se fazer notar em suas comunidades como líderes natos.Para saber mais sobre este e os demais Odus, adquira o livro “Um Mistério Chamado Odu”.



ODU ALÁFIA (16)

Fala na décima sexta casa do Oráculo de Ifá. É representado por dezesseis búzios abertos e nenhum búzio fechado.Neste Odu respondem todos os Oxalás Significa positividade completa. Traz felicidade, lucros, heranças, caminhos bons para negócios, enfim, tudo de bom.



Fecundação:

Aláfia significa parte positiva de cada Odu, quando se faz uma súplica à Orunmilá, quer dizer que se está fazendo pedido a uma força superior. Este Odu foi gerado sem pecado original.



Personalidade:

Precisamos ter muita cautela com os filhos deste Odu. Eles aparentam ser calmos e generosos até que venham a conseguir o que desejam. Seus eleitos podem estar tristes e pobres, mas não se iludam, pois de repente transformam tal situação e assombram todo mundo. A resistência, a tolerância e as mutações, tanto para cima quanto para baixo, são uma constante em suas vidas, e também o progresso. Pode trazer para seus filhos problemas de pressão arterial. Quando responde do lado esquerdo, traz problemas de transpiração excessiva, problemas cardíacos graves, perturbações, inquietação, necessidade de oferenda para Oxalá. De um modo geral, deve-se oferecer presentes a este Odu * Opira – É a caída dos dezesseis búzios fechados. Se fechar o jogo, é negatividade total. Significa morte irremediável para o consulente ou para o Zelador. Para saber mais sobre este e os demais Odus, adquira o livro “Um Mistério Chamado Odu”.

Um comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Postagens populares